E-mail para contato: hooponopono.anjos@gmail.com 

As pessoas e o Ho`oponopono 

Como o Ho’oponopono - um conhecimento kahuna -

ficou conhecido no mundo?

 

Morrnah Simeona

 

Morrnah era praticante de massagem lomi lomi e por 10 anos possuiu e operou spas de saúde nos hotéis Kahala Hilton e Royal Hawaiian. Entre seus clientes de massagem no spa Hilton estavam Lyndon B. Johnson, Jackie Kennedy e Arnold Palmer.

Em 1983, ela foi reconhecida como uma kahuna lapa 'au (curadora) e honrada como um "Tesouro Vivo do Havaí" pela Missão Honpa Hongwanji do Havaí.

 

O Ho’oponopono já era uma prática comum entre os povos nativos havaianos e era utilizado para resolver problemas de relacionamentos entre as pessoas de uma mesma tribo. Seu processo dependia da atuação de um xamã, alguém com conhecimento do mundo espiritual que pudesse “intermediar” o processo, que acontecia através do envolvimento de todas as pessoas.

 

Em 1976, Morrnah começou a modificar o processo tradicional do Ho’oponopono para adequá-lo para a realidade do mundo moderno.

Sua versão de hoʻoponopono foi influenciada por sua educação cristã (protestante e católica) e seus estudos filosóficos sobre a Índia, China e Edgar Cayce. A combinação das tradições havaianas, a oração ao Divino Criador e a conexão dos problemas com a Reencarnação e o Karma resultaram em um processo único de solução de problemas que poderia ser realizado individualmente e não mais como o processo original, em grupos.

 

Morrnah, apesar de criticada por alguns puristas havaianos, realizou treinamentos e palestras sobre Hoʻoponopono para as Nações Unidas, em quase uma dúzia de estados nos EUA e em mais de 14 países, entre eles Alemanha, Holanda, Suíça, França, Rússia e Japão.

 

Ela se apresentou para escolas de ensino superior, como a Universidade do Havaí e a Universidade Johns Hopkins, para instalações médicas, instituições religiosas e organizações empresariais. Em 1982, ela organizou o Primeiro Simpósio Mundial de Identidade do Homem. Um repórter observou: "Havia algo de muito calmante e reconfortante na presença de Simeona e em sua voz, uma sensação de serenidade sobre ela, enquanto ela fala sobre ensinar as pessoas a aliviar o estresse e alcançar a paz de espírito."

Para difundir seu processo Ho'oponopono, ela fundou a Pacifica Seminars na década de 1970 e em 1980 A Fundação da "I", Inc. (Liberdade do Cosmos).

Em 1990, ela começou a Pacifica Seminars na Alemanha. Simeona escreveu três livros didáticos Self-Identity através de Hoʻoponopono, Basic 1, Basic 2 (para usar depois de dois anos de prática) e Basic 3 (para usar depois de cinco anos). Os tempos de espera recomendados para o Básico 2 e 3 foram para desenvolver profundo respeito pela "presença divina". Em 1990, o original em inglês do Basic 1, 8ª edição, foi oficialmente traduzido e impresso em alemão e francês.

 

No final do outono de 1990, sua última jornada de palestras e seminários a levou pela Europa a Jerusalém. Em 16 de janeiro de 1991, ela voltou para a Alemanha, onde morou em silêncio na casa de um amigo em Kirchheim, perto de Munique, até sua morte em 11 de fevereiro de 1992.

A primeira pessoa a compartilhar seu conhecimento sobre o Ho’oponopono foi Morrnah Simeona, reconhecida kahuna lapa'au (curadora) no Havaí.

 

Morrnah nasceu em 19 de maio de 1913, em Honolulu, Havaí, filha de Kimokeo e Lilia Simeona, ambas nativos havaianos. Sua mãe, Lilia, foi uma das últimas reconhecidas kahuna la'au kahea ou sacerdote que cura com palavras.

Em breve - Dr. Hew Len, Joe Vitale e outros