Ho'oponopono Anjos



Quando lancei minha página no Instagram o nome Ho’oponopono já havia sido usado. Portanto, precisei escolher um nome que representasse o trabalho que eu já realizava no Facebook, mas que também pudesse ter algo significativo adicionado.

A escolha por Ho’oponopono Anjos não foi à toa. Desde muito tempo tenho certeza de que, além da nossa conexão com a Divindade, somos também apoiados por entidades que escolhem estar na Terra para nos ajudar e orientar. O nome dado aqui foi Anjos, mas acredito que elas podem ser chamadas de diversos outros nomes, pois a nomenclatura realmente não importa, assim como a forma que são percebidas nas religiões também não. O nome Ho’oponopono Anjos surgiu, então, da ideia de associar o trabalho que podemos fazer aqui, enquanto seres encarnados, e do apoio recebido por entidades que estão presentes em outros planos.

No livro You're not crazy, you're awakening, a doutora Edwige Bingue, ressalta que todos podemos conversar com Anjos. Ela está sempre em contato com eles e sugere que o melhor horário para termos acesso ao que eles tem para nos dizer é entre 3:30 e 4:30 da manhã.

Costumo, então, colocar o despertador para 4:00 (quando não durmo cedo o suficiente para já estar de pé nesse horário) e faço minhas perguntas aos anjos assim que acordo. Pergunto sobre o que está me angustiando, sobre dúvidas, sobre melhores atitudes. Também peço ajuda, proteção e a bênção, principalmente ao meu anjo da guarda.

Mesmo que eu volte a dormir depois, meu contato foi feito e minha orientação recebida. Sinto-me sempre inspirada a confiar, a ter tranquilidade e aguardar o que será de melhor para mim durante esses momentos. E isso tem me trazido uma paz enorme, sinto-me cada dia mais tranquila diante dos meus problemas e enormemente grata ao apoio que venho recebendo.

Mas sei que não devo apenas aos Anjos a mudança que vem ocorrendo na minha vida nos últimos anos. Ela está também relacionada com a jornada espiritual que iniciei há quase dez anos e da prática permanente do Ho’oponopono. A partir dessa prática novos autores foram surgindo na minha vida reafirmando – de diferentes formas – o que diz o Ho’oponopono: somos 100% responsáveis pela vida que temos.

Isso não significa, porém, que não podemos receber ajuda.

E estou sempre à procura de ajuda, seja através da meditação com os Anjos na madrugada, de rituais para a Lua, de locais que frequento (das mais diversas religiões), de vídeos, livros etc.

E assim sigo sentindo-me inspirada, agindo de forma mais consciente e cada dia mais segura do caminho que escolhi.

Inspirações


E uma das inspirações que recebi foi para unificar o nome da minha página no Instagram, meu site e minha página no Facebook. Apesar de ter um certo receio de alterar o que já está funcionando há algum tempo, acredito de coração no motivo para que isso ocorra: mesmo quando praticamos o Ho’oponopono, mesmo quando nos conectamos com a Divindade, não estamos sozinhos. Estamos sempre acompanhando de forças que podem ser de luz ou não, pois estarão sempre em sintonia com a nossa vibração. Então, por que não usar o nome que escolhi para o Instagram e lembrar a todos diariamente que entidades de luz podem estar conosco sempre?

Portanto, para o novo ano que chega, um novo nome será dado à página. E, mantendo a sintonia entre Facebook, Instagram e site, o novo nome é

Ho’oponopono Anjos

E para celebrar essa nova “vida” para a página e achegada do novo ano, compartilho um belíssimo texto do arquiteto e escritor Carlos Solano chamado Na companhia dos Anjos, que pode ser encontrado em seu livro Casa Natural, volume 1.

Na Companhia dos Anjos


“Lá vem a barra do dia, lá vem Jesus e Maria, lá vem um anjinho do céu para a nossa companhia”. Quem lá vem é dona Francisca, minha faxineira anjo da guarda, que nem bem chegou e já inventou de me passar uma corrente de oração para os anjos.

A tal corrente do bem funciona assim: primeiro, escolha um arcanjo para visitar a sua casa. Para Francisquinha, que dá definição de tudo, os arcanjos são as mãos de Deus e cada um deles protege uma parte da moradia.

As sete visitações

Gabriel, que anunciou a chegada de Jesus Cristinho, rege a entrada da casa, por onde as novidades se anunciam. Se você quer mudar de vida, oferte ao santo anjo, ali mesmo, a pureza de um aroma de rosas, de velas ou flores brancas, orando assim: “Portador das mudanças, fazei com que eu possa cumprir o plano de Deus para minha vida!”. Depois, como me revelou sinhá Francisca, “aproveite e faça um pedido singelo, sem pressão. Até porque anjo nenhum gosta de muito aborrecimento”.

Para ela, o idioma dos anjos não é feito de palavras, mas de perfumes e cores. Daí a razão das oferendas. Orar ajuda na comunicação, pois “deia a pessoa mais aberta e inteira de um todo”, ela me declarou.

Samuel, arcanjo guerreiro, cuida das necessidades básicas, como proteção e sobrevivência. Por isso, rege o banheiro da casa, onde um cheirinho de cravo, uma pedra granada ou objetos como velas e cravos vermelhos podem ser oferecidos, pedindo forças para se livrar de tudo o que não serve mais!

A quem ficou amolado ou decaído, Rafael consola e dá certeza do amparo divino. Por inspirar a boa comunicação, ele guarda a sala de estar, onde se pode dispor a cor amarela (a energia pura do sol) a pedra ágata ou o cheirinho da lavanda. “Guardião da saúde, transformai a minha alma para que eu possa refletir a Vossa Luz!”

Se você tem prestígio e poder, mas precisa de caridade, chame Saquiel. Por combinar esses predicados numa visão ampla de vida, ele rege as varandas e os jardins, onde a vista é mais aberta. “Espelho de humildade e pureza, enlace nossos corações com os fios do amor divino!” Um jasmim cheiroso, uma pedra turquesa ou a cor violeta (da compaixão) podem agradar.

Anael faz espalhar beleza e alegria para tudo que é lado, pois é ligado à música, à arte, ao amor e ao casamento. Para recebe-lo, enfeite os corredores com lírios ou com algo de cor azul (da criatividade). A pedra é o lápis-lazuli. “Cantai-nos vossas canções de alegria ,enchei-nos de vossa divina harmonia!”.

Sem apegos, Cassiel governa os bens materiais, o trabalho e as finanças. É da cozinha, onde se doa e se recebe, que ele derrama a bênção da fartura. Cor terra (da materialidade), quartzo verde, incenso opium, flor papoula. “Salve, Cassiel! Participai conosco dos trabalhos neste mundo, para que a divindade interna possa libertar-se!”.

A espada de Miguel Arcanjo é a verdade do coração e por isso ele rege o quarto do casal, que concentra amorosidade. A luta de Miguel é contra tudo o que nos distancia da grandeza de Deus: a poluição, a devastação, as discriminações, o egoísmo, a ganância. Ao convidá-lo, coloque no quarto a pedra âmbar, rosas ou lírios, a cor dourada ou azul. Cheirinho de mirra. “São Miguel, dai-nos força e coragem em nossos corações!”.

Desejo a todos um 2017 de muitas conquistas! Que possamos cada dia mais acessar a Divindade que há em nós e que nossas vibrações sempre atraiam entidades de luz.


0 visualização

E-mail para contato: hooponopono.anjos@gmail.com