A quem pedimos perdão no Ho'oponopono?


O Ho'oponopono ficou conhecido através de suas 4 frases: sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.


O entendimento do que elas significam não interfere no processo de purificação de memórias, que é o que gera a transformação das nossas vidas (leia mais sobre isso clicando aqui).


Entretanto, muitas pessoas me procuram para saber a respeito do pedido de perdão.

Elas não se sentem confortáveis com um pedido que parece trazer o peso da culpa.


Afinal, se quero mudar uma situação que está acontecendo comigo, por que devo pedir perdão como se eu fosse o responsável pelo o que está acontecendo?


Nesse post espero conseguir explicar o que significa esse pedido de perdão e a quem fazemos esse pedido.


Mas antes quero reforçar o que explico aqui sobre as 4 frases: elas são ferramentas de purificação de memórias que podem e devem ser utilizadas sem que tenhamos que compreender seu significado.


Quando fazemos uso das ferramentas no Ho’oponopono, nossa mente consciente (que deseja explicação para tudo) sai do processo, pois é na mente subconsciente que a purificação ocorre. Vou explicar mais sobre essas mentes nesse post.


Entretanto, o pedido de perdão ocorre em outros momentos no Ho’oponopono Identidade Própria, como nas suas orações. E aí voltamos às perguntas: para quem estou pedido perdão? Por que estou pedindo perdão?


Para responde-las, gostaria de explicar, em primeiro lugar, o que são nossas memórias no Ho’oponopono e porque sempre digo que devemos “purificar memórias” quando desejamos mudar algo em nossas vidas.


Memórias, para o Ho’oponopono, são registros energéticos que carregamos em nossas células. Esses registros ocorreram durante nossas existências e durante as existências de nossos antepassados.


A cada momento em quem uma grande energia é liberada, nosso corpo físico a recebe e, em seguida, a armazena na parte de nós que vem seguindo a nossa jornada existencial há milhares de anos: nossa mente subconsciente.


Nossa mente subconsciente é chamada de Unihipili no Ho’oponopono, ou Criança Interior. Ela é a parte Alpha da nossa mente, responsável por armazenar a forma como nós funcionamos – tanto nosso corpo físico quanto nossas emoções - a partir dos registros energéticos de nossas vidas anteriores e das vidas dos nossos antepassados. Sua função primária é nos manter vivos a partir dos padrões que foram se estabelecendo ao longo das nossas vidas.


Além da mente subconsciente, somos também a mente superconsciente – o Aumakua, ou Pai. Nosso Aumakua é a parte Theta da nossa mente, a força motriz de cada coisa manifestada. Nossa parte Aumakua jamais age para o mal e existe uma conexão entre todos os Aumakuas que tudo sabem sobre os planos divinos de cada um.


Todas as vezes, ao longo de nossas existências que nos desconectamos do nosso Aumakua e agimos de forma desequilibrada, geramos uma forte energia que se armazena em nossa mente subconsciente como uma memória. E quando vivenciamos uma situação nessa vida que novamente nos desequilibra, o que estamos vivenciando é o retorno dessa energia que estava armazenada em nós mesmos. E mais uma vez nos afastamos do nosso Aumakua.


(Permita-me abrir um parênteses para explicar algo importante: quando uma forte energia positiva é gerada, ela também é registrada em nosso corpo e fica armazenada em nossa mente subconsciente até retornar para nós através de situações alegres, amorosas e felizes que vivenciamos. É por isso que sempre haverá bons e maus momentos nas vidas de todos nós.)


Dando continuidade, nosso pedido de perdão começa por uma tomada de consciência de que todas as situações que vivenciamos foram produzidas por nós mesmos através do retorno de uma energia que nós mesmos criamos em algum momento de nossas existências quando entramos em desequilíbrio com o nosso Aumakua ao agirmos de forma consciente ou inconsciente para o mal e não para o bem.


Apesar de parecer algo impossível de acontecer (eu??, agir para o mal??, jamais!)

a verdade é continuamos a fazer isso até hoje.


Nos desconectamos do nosso Aumakua quando falamos mal de alguém ou espalhamos uma fofoca. Quando sentimos raiva (e até ódio) de alguém que agiu de uma forma que consideramos incorreta. Quando não honramos nossos antepassados por mágoa ou vergonha ou quando brigamos com parentes por questões materiais, como política, por exemplo.


O que estamos fazendo é entrando em desequilíbrio com o nosso Theta, com o nosso Aumakua, gerando uma energia que irá se conectar a nós através da nossa Unihipili. E essa energia irá se manifestar futuramente através de outras situações e poderemos reagir a elas ou, antes mesmo que elas ocorram, purifica-las.


E aí que entram as ferramentas do Ho’oponopono. Quando repetimos as frases, estamos acessando nossa Unihipili para limpar essa energia. E quando pedimos perdão ao repetirmos as frases, pedimos perdão a nós mesmos pela energia que produzimos ao agir de forma desequilibrada com o nosso Aumakua quando enfrentamos situações diversas nas nossas diversas vidas.


Portanto, mesmo que alguém esteja agindo de forma incorreta conosco, pedimos perdão por termos agido de forma desequilibrada em algum momento de nossa existência com aquela pessoa (ou com algum antepassado dela) que acabou gerando uma energia que está se manifestando através da pessoa que está agindo de forma desequilibrada conosco agora.


Assumimos nossa responsabilidade – sem culpa. Não existe culpa no Ho’oponopono e tampouco existe punição. O que está acontecendo conosco, por pior que seja, não é castigo. É apenas uma manifestação energética sem propósito algum que não seja o de nos dar a chance de purificar o que gerou a situação em primeiro lugar. Simples assim!


Simples, mas não fácil, eu sei. Afinal, muitas das situações difíceis que vivenciamos doem muito.


Mas é importante não desistirmos.


Quando percebemos algo, tomamos consciência de algo através da nossa mente consciente – Uhane, que tem um papel importantíssimo no Ho’oponopono: o de fazer ESCOLHAS. SEMPRE podemos escolher entre continuar o processo de desequilíbrio com o nosso Aumakua mandando aquela mensagem ofensiva para o grupo da família ou pedir perdão por termos criado a energia que está se manifestando através da mensagem absurda que a tia louca mandou no grupo. Uhane, nossa parte Beta, a responsável por estar atenta a esses momentos e, apenas se ela desejar, agir para a purificação das memórias.


Portanto, o convite do Ho'oponopono para todos nós é: vamos escolher estar em equilíbrio com o nosso Aumakua. Vamos agir para o bem e escolher bons pensamentos. Vamos tomar consciência de que cada momento que vivenciamos em nossas vidas é criado por nós mesmos e vamos ESCOLHER criar melhores momentos sempre.


E sim, vamos seguir pedindo perdão pelos nossos deslizes, não porque seremos punidos, mas porque não mais desejamos essa energia em nossas vidas e estamos prontos para algo novo e muito melhor.



Deixe seus comentários a respeito desse post e escreva se ficou mais fácil pedir perdão para que possamos seguir purificando e transformando as nossas vidas e o mundo!!


Muita luz, sempre!!

Aloha!

178 visualizações7 comentários

E-mail para contato: hooponopono.anjos@gmail.com