top of page

Morrnah Simeona - a kahuna que mudou o Ho'oponopono

Atualizado: 19 de abr. de 2023


O Ho’oponopono, uma prática comum entre os povos nativos havaianos, era utilizado para resolver problemas de relacionamentos entre as pessoas de uma mesma tribo.


Apesar de não conseguirmos identificar quando ele começou a ser praticado, a forma como isso acontecia era muito diferente dos dias de hoje.


Seu processo dependia da atuação de um xamã, um kahuna com o conhecimento do mundo espiritual que pudesse “intermediar” o processo, que acontecia através da participação de todas as pessoas envolvidas.


Em 1976, Morrnah começou a modificar o processo tradicional do Ho’oponopono para adequá-lo para a realidade do mundo moderno.


Sua versão de hoʻoponopono foi influenciada por sua educação cristã (protestante e católica) e seus estudos filosóficos sobre a Índia, China e Edgar Cayce.


A combinação das tradições havaianas, a oração ao Divino Criador e a conexão dos problemas com a reencarnação e o Karma resultaram em um processo único de solução de problemas que poderia ser realizado individualmente e não mais como o processo original, em grupos e conduzida pelo kahuan responsável.


Mas quem foi Morrnah Simeona?


Morrnah nasceu em 19 de maio de 1913, em Honolulu, Havaí, filha de Kimokeo e Lilia Simeona, ambas nativos havaianos. Sua mãe, Lilia, foi uma das últimas reconhecidas kahuna la'au kahea ou sacerdote que cura com palavras.


Morrnah era praticante de massagem lomi lomi e por 10 anos possuiu e operou em spas de saúde nos hotéis Kahala Hilton e Royal Hawaiian. Entre seus clientes de massagem no spa Hilton estavam Lyndon B. Johnson, Jackie Kennedy e Arnold Palmer.

Apesar de criticada por alguns puristas havaianos, Mornnah decidiu apresentar o seu Ho'oponopono, que chamou de Ho'oponopono da Identidade Própria para o mundo.


Ela passou a realizar treinamentos e palestras sobre Hoʻoponopono para as Nações Unidas, em quase uma dúzia de estados nos EUA e em mais de 14 países, entre eles Alemanha, Holanda, Suíça, França, Rússia e Japão.

Ela se apresentou para escolas de ensino superior, como a Universidade do Havaí e a Universidade Johns Hopkins, para instalações médicas, instituições religiosas e organizações empresariais.


Em 1982, ela organizou o Primeiro Simpósio Mundial de Identidade do Homem.

Um repórter observou: "Havia algo de muito calmante e reconfortante na presença de Simeona e em sua voz, uma sensação de serenidade sobre ela, enquanto ela fala sobre ensinar as pessoas a aliviar o estresse e alcançar a paz de espírito."

Para difundir seu processo Ho'oponopono, ela fundou a Pacifica Seminars na década de 1970 e em 1980 A Fundação da "I", Inc. (Liberdade do Cosmos).


Em 1990, ela começou a Pacifica Seminars na Alemanha. Simeona escreveu três livros didáticos Self-Identity através de Hoʻoponopono, Basic 1, Basic 2 (para usar depois de dois anos de prática) e Basic 3 (para usar depois de cinco anos).


No final do outono de 1990, sua última jornada de palestras e seminários a levou pela Europa até Jerusalém. Em 16 de janeiro de 1991, ela voltou para a Alemanha, onde morou em silêncio na casa de um amigo em Kirchheim, perto de Munique, até sua morte em 11 de fevereiro de 1992.


Podemos afirmar que conhecemos o Ho'oponopono apenas devido à coragem e inspiração dessa mulher, pois ele era, assim como outros conhecimentos ancestrais havaianos, considerado um de seus segredos.

Para apresentá-la e homenageá-la, criei a carta Morrnah Simeona para o meu oráculo Ho'oponopono (ilustração de Marie Amorim).


Mahalo, Morrnah!

Aloha!





7.169 visualizações9 comentários

Posts recentes

Ver tudo

9 comentarios


Samiramis
Samiramis
24 jun

Beloved and dear brothers, I fell in love with ho'oponopono and I'm trying to spread it, maybe trying a channel... but above all, I'm fascinated by the sensational lifestyle!


However, today, June 23rd, I come to ask you to send me positive energy...LOTS OF ENERGY.. PLEASE FORGIVE ME Tomorrow I have a debt of 10 thousand reais to pay and I don't have 3% of it. I've been in my room for days without being able to talk to anyone. We know they are memories MORE MEMORIES OF INTENSE, PARALYZED DESPERATION.. CRYING.. BUT I CAN'T STOP REPEATING EVEN FOR A SECOND I love you, I'm grateful. PEACE begins with me ALOHA Samira, June 23, 2024


TAUBATÉ, SP BRAZIL

Me gusta

bom dia... ainda nao tem as cartas fisicas, ne?

Me gusta

Ieda Mesalira
Ieda Mesalira
23 jun 2023

grata pelo retorno

Me gusta

Agradeço ao Universo por ter me feito conhecer Ho´ponohopono. Uma benção em minha vida .


Me gusta
Letícia Vidigal
Letícia Vidigal
09 abr 2023
Contestando a

Gratidão, amada!! Fico muito feliz por isso!

Me gusta

Linda história, sou grata. assim o ho’oponopono chegou até mim, e eu a ele… sim, limpando com o amor.

Me gusta
bottom of page